Líderes do G20 Discutem Regulamentação de Criptomoedas

Encontro na Argentina suaviza necessidade de regulamentação

BUENOS AIRES (Reuters) – Os líderes financeiros mundiais que se reúnem esta semana na Argentina, deverão evitar qualquer ação específica na regulamentação das criptomoedas, disseram fontes da Reuters.

Reguladores globais, preocupados com a grande ascensão das critpomoedas dos últimos meses e receios do uso de forma criminosa estimulou discussões a respeito.

Os ministros das Finanças e Banco Centrais das 20 maiores economias do mundo hoje em Buenos Aires serão informados de que tais “recursos criptográficos” não ameaçam a estabilidade financeira, mas podem servir para lavar dinheiro ou financiar o terrorismo e prejudicar os consumidores que os compram.

No entanto, não é esperada nenhuma ação na cúpula, já que os formuladores das políticas não concordaram em uma estratégia comum para enfrentar a questão e alguns países.

Isso remete a perspectiva de um livro de regras global sobre o assunto, algo que alguns reguladores dizem ser necessário para enfrentar um fenômeno que transcende as fronteiras.

“É improvável que o G20 peça uma nova regulamentação”, disse uma das fontes.

Isso está de acordo com uma recomendação de Mark Carney, presidente do Conselho de Estabilidade Financeira, que em sua carta habitual aos participantes da cúpula pediu “maior coordenação internacional” e “monitoramento aprimorado”, refletindo a divisão entre os reguladores.

Alguns países, como a França, propuseram tomar medidas específicas, como a criação do status legal de “provedores de serviços de criptográficos” como primeiro passo para regular o setor.

“A menos que os países do G20 entendam, podemos dar a oportunidade a outros países para preencher esse espaço”, disse Mercina Tillemann-Dick do grupo da indústria, o Global Blockchain Business Council, falando em um evento separado em Buenos Aires.